domingo, 26 de junho de 2016

Exercitando o perdão em três passos...

Quando alguém comete algo que nos magoa é bem verdade que se cria uma barreira, as vezes, intransponível entre você e a pessoa em questão. Porque, geralmente, quem te magoa, quase sempre são pessoas do seu convívio, seu marido, esposa, filhos, irmãos da igreja, amigos, colegas de trabalho. São pessoas que você espera que  não vão te decepcionar.Mas é inevitável porque errar faz parte da natureza humana.

 O ditado de Alexandre Pope "Errar é humano perdoar é divino" nos remete a pensar que errar é bem próprio e característico do ser humano e de que errar faz da natureza humana. Mas também podemos perceber que o autor afirma que perdoar é divino e que a virtude de perdoar vem da parte de Deus. Podemos então, entender que quando dispomos a perdoar estamos nos assemelhando a Deus!

Então, Pedro aproximando-se dele disse Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? (Mateus 18.21)
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete, mas, até setenta vez sete. ( Mateus 18. 22)

Para perdoar precisamos estarmos dispostos seguir três passos:

Primeiro passo: desfazendo as frustrações -  para perdoar é preciso reconhecer que o outro errou porque é um ser humano passível de errar e que nós não somos alguém acima do bem do mal e nunca vamos errar.

Segundo passo: desfazendo as barreiras -  entendendo que a palavra de Deus nos diz que é preciso perdoar e que esse perdão não tem limites. Não exitem categorias de pessoas  que deva ser perdoadas. Não existem tipos de erros que devem ser perdoados do maior ao menor erro todos devem ser perdoados.

Terceiro passo: (...) e que nenhuma raiz de amargura,brotando, voz perturbe, e por ela muitos se contaminem.( Hebreus 12.15) não deixe que se crie raízes de amargura por uma situação mal resolvida. Buscar resolver a situação é a melhor solução. Não espere que a pessoa que te fez mal venha até você. Muitas vezes, quem errou não tem a dimensão que te fez tanto mal, assim.

Se seu irmão pecar contra você, vá e mostre-lhe o seu erro. Mas faça isso em particular, só entre vocês dois. Se essa pessoa ouvir o seu conselho, então você ganhou de volta seu irmão.  (Mateus 18. 15)

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Aprendendo a servir com o mestre Jesus


"Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração" Mateus 11. 29

Tema: Aprendendo a servir com o mestre, Jesus 

Levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se. João 13. 4

Meditando o versículo 4, podemos observar que Jesus praticou quatro ações as quais são: levantou-se, tirou as vestes, tomou a toalha, preparou-se. 
Quais os ensinamentos que podemos tirar desse ato de Cristo?

Aprendendo a servir com o mestre Jesus.

Ao observarmos as ações do mestre, podemos tirar muitas lições desse texto. 
Porque quando fazemos aos homens, fazemos a Deus. (Efésios 6: 5,8). 

  • Levantar é preciso, sair do lugar, se mover, sair da zona de conforto para executar a ação. Se colocar em posição de prontidão, posição de serviço. 
  • Se despir de tudo que atrapalhar a servir: orgulho, desânimo. 
  • Tomar nas mãos as ferramentas necessárias para executar o ato de servir: o amor, a compreensão, atitude de servo.  
  • Preparar-se: abaixar, humilhar-se ( para lavar os pés precisava abaixar-se colocar em posição de servo). abaixou-se com a tolha e a bacia com água começou a lavar os pés e enxugá-los.

Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com que estava cingido. João 13. 5

Cristo ao lavar os pés de seus discípulos mostrou que estava ali pra servir e cumprir a vontade do seu pai. Para muitos seria um sinal de fraqueza, de humilhação ao curvar-se diante dos discípulos. Pedro ao ver o seu mestre fazer tal ato se surpreende. 

Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim? (João 13. 6) 
Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo. (João 13.8)


Podemos perceber nos versículos 6 e 8,  que Jesus não estava preocupado com sua posição de Mestre os quais os discípulos o via. 
Ele mostrou que a pesar de sua condição de filho do Pai altíssimo, Ele se despiu de toda a sua glória e se colocou-se no lugar de servo. A partir disso é bem simples compreender que se não nos colocarmos no lugar de servo não temos parte com Deus.    

Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça. (João 13. 9). 
No versículos 9, observamos que João se arrependeu do que disse e voltou atrás em sua decisão. 
Ao meditar nas palavras de João podemos perceber que João entendeu o propósito de Cristo naquele momento.  Em que para servir a Deus devemos nos colocar em posição de servo. 
Felizes são as pessoas humildes, receberão o que Deus tem prometido. Mateus 5.5